quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Mãe, até amanhã







Na roda viva da vida
jornada após jornada,
vamos deambulando,
por distracção indevida
damos atenção a nada
o importante adiando;

É como andar a dormir
e os dias vão passando
sem conseguir acordar,
esquecendo o que pode surgir
conversas vão-se atrasando
sentimentos ficam por falar;

Até que chega o dia
em que queiramos ou não
obriga ao despertar,
derrocada da alegria
lágrimas no coração
omissões a lamentar;

O que ficou por dizer
é tanto, sabe-o bem Deus
perdi o meu talismã,
que vou agora fazer
não, não vou dizer adeus
minha Mãe, até amanhã!

Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.