terça-feira, 13 de setembro de 2016

Sem perdão







Cada dia que passava
a distância ia aumentando,
tudo me dizia nada
o silêncio já gritava
o fogo foi-se apagando;

Não cuidei desse amor
como um dia prometi,
nem sequer fui bom actor
inflingi-te um mar de dor
não mais fui digno de ti;

Abracei uma paixão
de ti não mais quis saber,
cavalguei uma ilusão
rumo à destruição
e perdi uma Mulher;

Esquece que eu existi
apaga-me do teu coração,
inventa que eu morri
nada mais sou para ti
o que fui não tem perdão!

Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.