sexta-feira, 7 de outubro de 2016

À luz da lua







À luz da lua
dançava nua                                     
despida de idade,                             
movendo com graça
corpo de desgraça
sem qualquer maldade;

Cabelos compridos
negros luzidios
brincando com o vento,
orquestra de estrelas
música das mais belas
escutadas no tempo;

Lábios de veludo
olhar sem escudo
seios de perdição,
cintura delgada
sorriso de fada
linguagem de paixão;

A noite corria
fugia do dia
levando a saudade,            
a aurora surgia
com nova energia
e a promessa de felicidade.

Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.