segunda-feira, 21 de novembro de 2016

Ciúme







Andava meio cismado
por ver-te entediada,
nada fiz de errado
nunca saí do teu lado
mas senti-te melindrada;

Mudanças súbitas de humor
mostravam insegurança,
o teu olhar perdeu fulgor
fugias do nosso amor
ser feliz era lembrança;

Sentados a conversar
sobre nós e sem queixume,
acabei por constatar
o que nos estava a assombrar
era apenas o teu ciúme;

Será possível amar
verdadeiramente sem ciúme?
Depois de te abraçar,
sem nada para perdoar,
reacendemos o lume.



Malik

2 comentários:

  1. O ciúme vê com lentes, que fazem grandes as coisas pequenas, gigantes os anões, verdades as suspeitas.
    Camilo Castelo Branco

    ResponderEliminar
  2. Magnífica frase! Obrigado.
    Penso que um pouquinho até pode ser salutar...
    Beijo.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.