sábado, 31 de dezembro de 2016

Balanço






Esta noite não dormi
para fazer o meu balanço,
do muito que não vivi
do tempo que esperei por ti
dos dias de desencanto;

Foi um ano para esquecer
lá no fundo de um baú,
muito sonho por fazer
cansaço de tanto sofrer
só porque me faltas tu;

Muita lágrima verteu
com a voz bem embargada,
este ser que se esqueceu
de aceitar o que morreu
e do qual só ficou nada;

Se foi destino ou fado
ou falta de empenho meu,
o certo é que foi errado
caminhar para nenhum lado
foi o que este ano me deu.


Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.