quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Guarda-jóias






Mais um ano decorrido
mais um tempo que se vai,
a memória não se esvai
guardará o colorido;

Em guarda-jóias fechado
protegidas de olhares,
imagens são aos milhares
conservando esse passado;

Quando bate a nostalgia
na porta do meu presente,
num instante, num repente
vou lá buscar alegria;

Não há roseiras sem rosas
nem rosas há sem espinhos,
o menos bom dos caminhos
eu entendi como provas;

Do quintal fiz um jardim
onde semeei amor,
não receio qualquer dor
nem o fogo que há em mim;

Outro ano a começar
coisas novas a fazer,
renascendo o meu viver
com a força de amar.


Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.