sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Marginal






Na penumbra do luar
percorria a marginal,
a passo, bem devagar
embrenhado a escrutinar
o que é que correu mal;

A saudade me enganou
fez-me ver uma miragem,
não eras tu quem passou
mas meu coração pulou
iludido pela imagem;

Parei, abraçando o mar
que queria correr para mim,
como que a tentar mostrar
que a verdade de amar
tem princípio, mas não fim;

E de tanto ficou nada
tudo perdeu o sentido,
mas o vento me enlaçava
e baixinho sussurrava
teu nome no meu ouvido;

Inebriado pela maresia
dei por mim a pensar em alta voz
que o vento e o mar estão a torcer por nós.


Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.