quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Tempo







O tempo, ao passar
deixa na minha pele tatuagens
não são rugas, mas imagens
do ficar e de viagens
bem reais ou a sonhar;

Ontem passava a correr
hoje sinto-o fatigado
muito menos empertigado
talvez por estares a meu lado
talvez para nos ver viver;

Tempo é também fermento
de delícia requintada,
nossa tela está pintada
e a nossa vida focada
em vivermos ao momento.


Malik

4 comentários:

  1. O tempo é igual nos relógios para todos, mas nunca o será numa vida plena de amor.
    Lindo o poema.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  2. Grato pelas palavras e por gostares.
    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Maravilhoso poema! Adorei

    Beijo, bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Obrigado, Cidália!
    Beijinho e bom fds!

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.