sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Volta e meia







Volta e meia dou a volta
ao fio do pensamento,
faço-o não por revolta
antes por reviravolta
que surge a cada momento;

É difícil compreender
ao arvorado inteligente,
que falta muito aprender
que muito mais há para ver
do que está à nossa frente;

É abrir olhos dormentes
por forma a duvidar,
da aparência de sementes
ou de dogmas bem assentes
com arestas por limar;

Volta e meia, dou a volta
ao fio do meu pensar
para a verdade procurar.


Malik

2 comentários:

  1. Muito bonito o poema.
    Identifico-me com o mesmo porque também eu procuro a verdade ....que às vezes se ausenta de nós.
    Abraço.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.