sexta-feira, 24 de março de 2017

Desalento







Desalento,
à margem do tempo
ao sabor do vento
num vazio sem fim.
Já nada acalento,
já nada lamento,
perdi-me de ti,
perdi-me de mim.


Malik

Sem comentários:

Enviar um comentário

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.