sexta-feira, 31 de março de 2017

Imprevisto








Na previsibilidade dos dias
foste o meu imprevisto.
Chegaste como quem nada quer,
aproximaste-te de mansinho
em mim entraste devagarinho
quase sem eu dar por isso.

Acordei, omisso ou submisso,
nem sei.
Sei que te amei
mas não mais estás aqui.
Preciso de ti.



Malik

10 comentários:

  1. Belo poema. Sempre o amor a mulher presente na tua escrita.
    "Amei" passado!
    Parabens pela inspiracao deste "imprevisto".
    Um abraço
    .

    ResponderEliminar
  2. Obrigado. Gosto que gostes!
    Beijinho e bom fds!

    ResponderEliminar
  3. Sem duvidas, maravilhoso. Um amor que se calhar passou!!

    Beijo, bom fim de semana.

    ResponderEliminar
  4. Grato Cidália, mesmo!
    Beijinhos e bom fds!

    ResponderEliminar
  5. Bonito, doce...
    Parabéns, amigo.
    Beijinhos e bfds.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado por gostares, Joaninha!
      Beijinho e um óptimo fds!

      Eliminar
  6. O amor acontece quando menos esperamos e desaparece sem sabermos bem como.
    Gostei muito da ternura das tuas palavras.
    Um beijinho e um bom fim-de-semana!

    ResponderEliminar
  7. Grato, Rita!
    Beijinho e um óptimo fds!

    ResponderEliminar
  8. Um imprevisto que iluminou a alma e coração durante algum tempo...
    Belíssimo poema
    Um abraço
    Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado, Maria!
      Um beijo e uma óptima semana.

      Eliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.