domingo, 12 de março de 2017

O teu olhar






O teu olhar
mostra-me um mar
de luz e fogo,
vislumbro beijos
e outros desejos
onde me afogo;

Desvendo segredos
envoltos em medos
de ir ou ficar,
vejo um tesouro
sem prata nem ouro
que anseio roubar;

E vou mais fundo
descobrindo o teu mundo
procurando pelo meu,
ao chegar à alma
levanto com calma
uma ponta do véu;

Mais não é preciso,
és o paraíso
em ti estou no céu.


Malik

10 comentários:

  1. Os olhos são as janelas da alma! Lindo poema. Adorei de verdade.

    Beijo e um resto de um bom domingo.

    http://coisasdeumavida172.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  2. E que o nosso olhar seja sempre terno e doce, tal como as palavras deste poema!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  3. Que doçura terna, amigo Malik! Ficamos tão encantados com a mensagem que quase nos escapa o valor!
    A tua poesia faz-me lembrar ballet clássico, que quando vemos parece tão fácil pela suavidade e reúne tanta arte e empenho!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato pelas palavras, Joaninha! Faço questão da simplicidade...
      Beijinhos e óptima semana.

      Eliminar
  4. Um poema maravilhoso, gostei.
    Vou seguir para não perder nada.
    Se quiseres, faz o mesmo. Gostaria.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.