quinta-feira, 6 de abril de 2017

Escrever







Sonhar pode ser singular
amar escreve-se a dois,
num diário ao deitar
perfumes nele gravar
para recordar depois;

Sinto-te parte de mim
numa história que escrevo,
ainda lhe falta um sim
ainda não tem um fim,
se tivesse, era segredo;

A seu tempo saberás
do enredo ficcionado,
num futuro sem passado.


Malik

6 comentários:

  1. Poema belo. Mas todo o futuro tem um passado que não podemos eliminar.
    Que o teu "sim" seja real e não ficcionado.
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Poema extraordinário, Malik! Parabéns!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  3. Obrigado por gostares, Joaninha!
    Beijinho.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.