quarta-feira, 19 de abril de 2017

Mentira







Não sei se é ódio ou inveja,
aquilo que move essa gente
que te oferece de bandeja
a culpa de um inocente;

Soubessem eles de carma
ou da dita lei do retorno,
e não usariam tal arma
nem aceitavam suborno;

A mentira sempre avaria
ao cruzar-se com a verdade,
tudo se descobre um dia
bem mais cedo do que tarde;

Tivesse a mentira aroma,
por certo não seria a erva
nem a nada que se coma.


Malik

5 comentários:

  1. Gostei da mensagem que passas no poema.
    Não gosto da mentira. Por mais dura que seja a verdade, ela deve estar presente em todas as circunstâncias da nossa vida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Grato por apreciares a mensagem. E sim, de acordo contigo.
      Beijinho.

      Eliminar
  2. Tema feio e poema lindo! És mágico, Malik!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar

Nota: só um membro deste blogue pode publicar um comentário.