quarta-feira, 14 de junho de 2017

Só...







Só...
Estou só, rodeado de gente,
serei uma ilha, estarei indiferente?
Sinto-me só, isolado, confuso, perdido...
Navegando um tempo sem sentido...

Aonde vou?
Por onde ando?
Onde fiquei?
Ou não fiquei... fui ficando...

Perdi-me nas ondas
da paixão pela vida,
pedaços de mim espalhados
num mar de amores passados
onde não quero voltar...

Minha alma sente dor
que se recusa a abrandar,
assim como um grande amor
que não veio para ficar,
a minha viagem preciso retomar
mas primeiro
preciso ficar inteiro
p’ra poder voltar a amar!

Só...


Malik

2 comentários:

  1. Apesar de ter um pouco de melancolia, é muito belo!!

    Beijinhos

    Coisas de Uma Vida 172

    ResponderEliminar
  2. Sentir-se só mesmo estando em meio a uma multidão, acredito que seja uma sensação vivida pelo ser humano algumas vezes durante a sua existência. O vazio, a incompletude, também são impressões que nos acometem sem que saibamos detectar onde estão localizadas as faltas, em que partes do caminho fomos nos perdendo de nós mesmos.
    Ah, meu amigo, soubeste bem neste majestoso poema falar desta solidão que tanto magoa a alma e fere o coração.
    Tive oportunidade de ler também Cetim, um grito de dor guardado na lembrança... Em Quero Voar, temos versos doces a nos guiar o pensamento pelo espaço, espalhando amor e promovendo a paz... Em Renascer, um momento onde o amor se faz presente na união de corpos e almas, tecendo no erotismo e na sensualidade os trações das paixões vividas à frente de uma lareira... Uma Criança, versos ternos a nos falar sobre uma infância bem vivida, que um dia será relembrada e guardada para sempre na memória... O poema Vazio pode ser mesclado ao poema atual: Só.
    Enfim, meu amigo, foi um prazer dar uma volta nos teus poemas tão delicados, lindos, frutos desse teu poetar de gênio, de ser humano que deixa a alma falar em versos tão profundos...
    Quero registrar meu agradecimento por todos os comentários que me deixaste neste período tão conturbado da minha vida.
    Tenho mesmo que fazer uma pausa, meu amigo, limitar muitas das minhas ações, o que vai de certa forma roubar-me o prazer de estar atuante em várias frentes, de dar atenção a todos os projetos que me agradam seguir. Enfim, não somos donos de nossa vontade e muitas vezes temos que obedecer a forças mais poderosas do que o nosso desejo...
    Que a tua vida seja sempre pautada na doçura da poesia, que teus caminhos sigam no rastro da alegria e da paz, e que as tuas realizações passem sempre pelo crivo da verdade, da justiça e do amor. Que sejas sempre muito feliz, meu poeta querido!
    Até um dia!
    Helena

    ResponderEliminar