sexta-feira, 24 de março de 2017

Desalento







Desalento,
à margem do tempo
ao sabor do vento
num vazio sem fim.
Já nada acalento,
já nada lamento,
perdi-me de ti,
perdi-me de mim.


Malik

quarta-feira, 22 de março de 2017

Ao acordar






Um galo cantou
logo me acordou
ao raiar do sol,
estendi a mão
procurei-te em vão,
frio o lençol;

Sentei-me na cama
fiz filme de drama
oco de ilusão,
já bem acordado
ergui-me cansado
arrastei-me pelo chão;

Olhei o espelho
onde a batom vermelho
se podia ler,
fui trabalhar
volto ao jantar
para te amar, para viver.


Malik

terça-feira, 21 de março de 2017

Dilemas







Deixo-me abraçar pela inquietude
enquanto a melancolia me invade,
preciso desenhar uma atitude
que ignore a longitude,
que não castre a liberdade;

Estranho sentir incerto,
nem lhe conheço a razão,
é oásis sem deserto
num infinito tão perto,
em espaço de solidão;

Para agravar o dilema,
disponho de papel e pena
mas não da solução.


Malik

domingo, 19 de março de 2017

Pai







Dizem que hoje é o teu dia.
Modas.
Todo o que teve a felicidade de ter um Pai sabe, sente, que isto dos dias são modas.
E tu, Pai, até nem eras de modas.
E eu, teu filho, também não.

Não, não foste um pai óptimo, bom, sofrível ou mau. Foste o meu Pai.
Hoje, sei que desempenhaste esse teu papel o melhor que podias e sabias.
E nunca, nunca subiste ao palco.
Como chegaria eu junto de ti dizendo ser o teu dia?
Provavelmente dir-me-ias que ser Pai não tem dia. É sempre. Um dia compreenderás meu filho...

Sabes que doeu muito quando foste embora.
Sabes que ainda não consegui entender porque foste na altura em que me fazias mais falta?
Onde estava o universo com a cabeça para te roubar de mim quando mais precisava de ti?

Sem aviso ou despedida
saíste da minha vida
num tempo que já aceitei,
sinto que esperas por mim
em outra vida sem fim.
Um dia te encontrarei.


Malik

quinta-feira, 16 de março de 2017

Amanhã vou-te encontrar






Amanhã vou-te encontrar
talvez numa esquina perdida
da cidade que é a vida
onde ainda sei sonhar;

Amanhã vou-te encontrar
talvez numa ruela qualquer
saberás que és a mulher
que não desisto de amar;

Amanhã vou-te encontrar
talvez na nossa cama
que é o ninho de quem ama
e pedir-te para ficar;

Amanhã vou-te encontrar
talvez para toda a vida
com chegada, sem partida
num eterno namorar;

Amanhã, vou-te encontrar!


Malik

terça-feira, 14 de março de 2017

À varanda








Gosto de vir até aqui
quando a vida não é branda.
Gosto desta varanda.
Gosto do velho cadeirão onde me sento confortavelmente
como quem se prepara para uma longa viagem.
Sem bagagem.
Liberto o pensamento para que voe sem tempo,
só ele sabe voar assim, para lá do horizonte
como se construísse uma ponte.
Sabendo ser selectivo,
vai de imagem em imagem
onde a censura não tem margem.
É suavemente intenso
deixando-me sempre mais leve,
sei que regresso em breve.
Gosto desta varanda.
Daqui, deste vale profundo
nem o cume da serra me impede de olhar o mundo.

Gosto de vir até aqui.



Malik

domingo, 12 de março de 2017

O teu olhar






O teu olhar
mostra-me um mar
de luz e fogo,
vislumbro beijos
e outros desejos
onde me afogo;

Desvendo segredos
envoltos em medos
de ir ou ficar,
vejo um tesouro
sem prata nem ouro
que anseio roubar;

E vou mais fundo
descobrindo o teu mundo
procurando pelo meu,
ao chegar à alma
levanto com calma
uma ponta do véu;

Mais não é preciso,
és o paraíso
em ti estou no céu.


Malik